MAXI AGRO
BAHIA É O ESTADO COM O MAIOR NÚMERO DE AGRICULTORES FAMILIARES DO BRASIL

Na Bahia, estado com o maior número de agricultores familiares do Brasil (com 665.831 estabelecimentos), o segmento responde por 91% da produção de mandioca. No Piauí, a agricultura familiar é responsável por 95% da produção de macaxeira e, já no estado do Rio de Janeiro, 75% da produção do aipim são também oriundos dessa parcela de produtores. Com nomes variados regionalmente e formas de preparo distintas, a mandioca é um alimento apreciado de Norte a Sul do Brasil.

Importante para a economia nacional e para a cultura brasileira o produto foi tema de Audiência Pública, realizada nesta terça-feira (16), pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados. Em Brasília, convidados e participantes da reunião discutiram a comercialização, o cultivo, a produção e o uso de insumos da mandioca e derivados.

O diretor do Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valor (Degrav) da Secretaria da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA), Nilton Pinho de Bem, destacou que o MDA possui uma série de políticas de incentivo à produção que abrangem os produtores de mandioca. “Praticamente todas as linhas do Pronaf contemplam a cultura da mandioca. Seja o Pronaf Custeio, Investimento ou Agroindústria, com juros negativos para os agricultores”, disse Nilton, durante a sessão.

“Os agricultores familiares contam também com o Seguro da Agricultura Familiar que cobre o custo da produção e garante 65% da receita líquida esperada. Temos os programas de Asssistência Técnica e Extensão Rural (Ater), o de fomento à integração produtiva, bem como as Chamadas Públicas que oferecem Ater ao estabelecimento por um período continuado”, citou o diretor do Degrav.

“Por sua função estratégica para a segurança alimentar, tanto das famílias quanto do rebanho, a mandioca – planta rica em energia e altamente proteica – é uma cultura importante para a agricultura familiar, além de ter sua importância para os sistemas de produção dos agricultores”, apontou. Ele ressaltou, ainda, programas de compras institucionais que garantem mercado para os produtores de mandioca, a exemplo do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Em 2012, a aquisição de mandioca e derivados pelo PAA foi de R$ 23,4 milhões, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Produção familiar 
A agricultura familiar responde por 87% da produção nacional de mandioca. No Rio Grande do Sul, essa porcentagem é de 92%, e em Santa Catarina, 93%. Considerada uma cultura predominante da agricultura familiar, tem 42% de seu plantio feito em áreas menores de 10 hectares.

Os principais estados produtores no País são o Pará (20% da produção nacional), o Paraná (17%) e a Bahia (10%).

Segundo o chefe da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Domingos Haroldo, o Centro Sul do Brasil apresenta maior produtividade e possui áreas maiores para o cultivo. Em geral, o país tem baixo índice de crescimento da produtividade devido a vários fatores, entre eles, cultivo em áreas com solos de baixa fertilidade e chuvas insuficientes O baixo uso de insumos, os preços baixos e instáveis e o investimento em pesquisa inferior ao aplicado em outras culturas também foram apontados por Haroldo como entraves da produção.

Fonte: Jornal Bahia Online