MAXI AGRO
Fevereiro determinou bimestre positivo para carne suína, diz ABPA
14/03/2019 09:23 em Notícia

Exportações do produto nacional cresceram em volume e receita no mês passado

Os exportadores brasileiros de carne suína embarcaram um volume 26,5% maior de carne suína em fevereiro deste ano na comparação com o mesmo mês em 2017. Foram 54,09 mil toneladas de produtos in natura e processados, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (13/3) pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). A receita foi de US$ 100,1 milhões, crescimento de 13,5% na mesma comparação.

De acordo com a Associação, o desempenho do mês passado foi determinante do resultado acumulado do primeiro bimestre de 2019. No período, os embarques somaram 201,6 mil toneladas, 5,65% a mais que nos dois primeiros meses de 2018. Mas as empresas faturaram 4% menos com essas vendas: US$ 191,7 milhões.

No acumulado do primeiro bimestre, a China foi o principal destino das vendas externas de carne suína do Brasil. Foram 20,614 mil toneladas, o equivalente a 20,4% do total. Em seguida, aparece Hong Kong, com 20,274 mil toneladas e 20,1% de participação nas exportações brasileiras.

O destaque, no entanto, ficou com a Rússia, mercado reaberto em novembro do ano passado. O país comprou 11,030 mil toneladas de carne suína do Brasil no acumulado de janeiro e fevereiro. Foi o terceiro principal destino do produto nacional nos dois primeiros meses do ano, com 10,9% de participação.

“A forte elevação das vendas de carne suína para a Rússia e para outros mercados aponta para um horizonte otimista nas exportações do setor.  Neste contexto de recuperação de vendas, é importante manter fluxo de embarques em diversos mercados, para reduzir a dependência em torno de poucos destinos de exportação”, diz Francisco Turra, presidente da ABPA, em nota.

Fonte: Revista Globo Rural

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!